menu
QUEM SOMOS PORTIFÓLIO SOLUÇÕES INTEGRADAS GOVERNANÇA COMUNICAÇÃO CONTATO
Trabalhe Conosco   |    Colaboradores   |    Clientes   |    Fornecedores       

Aprenda a desenvolver a Inteligência Emocional no trabalho



De acordo com Laurie K. Cure, CEO da Innovative Connections, empresa americana de consultoria em gestão, a inteligência emocional é o indicador número 1 da excelência profissional e pessoal e é responsável por 58% do bom desempenho em qualquer tipo de trabalho. A CEO descobriu, ainda, que 90% dos líderes que possuem os melhores desempenhos nas empresas têm níveis elevados de inteligência emocional, tornando-se um fator decisivo para o sucesso na liderança.

Mas, afinal, o que é a Inteligência Emocional?

Para a psicologia, a inteligência emocional é a capacidade de compreender e gerenciar as próprias emoções e, também, de lidar positivamente com as emoções e sentimentos das pessoas a sua volta. Num ambiente empresarial, a inteligência emocional se relaciona com autoconsciência, gestão de conflitos, empatia e construção de confiança, outras importantes habilidades que auxiliam líderes a gerenciar com eficácia as demandas do dia a dia. Continue a leitura, conheça esses pilares da inteligência emocional e saiba como desenvolvê-los.

Autoconsciência

A autoconsciência é um componente essencial da inteligência emocional. É a capacidade de perceber, controlar e expressar as emoções, e de lidar com relacionamentos no ambiente de trabalho de maneira criteriosa e com empatia (habilidade que falaremos mais a frente). Tem tudo a ver com conhecer sua personalidade, assim como seus pontos fortes e suas fraquezas. As emoções é que moldam o caráter, a maneira de ser e de como os outros nos veem. A autoconsciência pode ser desenvolvida reconhecendo os seus valores pessoais e os gatilhos emocionais, e analisando o modo como você responde a situações específicas e a certas pessoas. Isso garante que você transmita uma imagem realista de quem você é e de como a equipe lhe percebe.

Gestão de conflitos

Para gerir um time de sucesso, é preciso muito mais que delegar e supervisionar tarefas. É entender sobre autogestão, é saber gerir o estado, impulsos e recursos internos. Envolve autocontrole emocional e a capacidade de usar a consciência de suas emoções para direcionar o comportamento, ações e reações. Esse processo requer controle das próprias emoções, estresse e ansiedade e pode ser desenvolvido imaginando os lados positivos e negativos das ações para, então, determinar qual ação ajudará o resultado desejado. Essa habilidade também favorece o rápido gerenciamento de conflitos e o consequente aumento de confiança (falaremos mais a seguir) da sua equipe de trabalho, afinal, reconhecer o conflito quando ele surge, entender sua natureza e trazer uma solução rápida e justa cria um saudável relacionamento com os colaboradores.

Empatia

Reconheça as emoções dos outros e desenvolva empatia, que é o que nos permite captar o clima emocional em situações empresariais e compreender o que a equipe está pensando e sentindo. A empatia pode ser desenvolvida por meio da escuta e da capacidade de fazer as perguntas certas. Quanto mais forte for a capacidade de ouvir e perguntar, mais fácil será conectar-se com a equipe com base nas emoções que estão compartilhando. Como fazer isso? Coloque a posição de líder de lado e, com a humildade de um profissional aprendiz, mergulhe na perspectiva do colaborador de ver as coisas e deixe que ele perceba que você confia nele para despertar o sentimento de reciprocidade. Dessa forma, o líder abre espaço para a empatia, incentivando conversas mais profundas no ambiente de trabalho.

Construção de confiança

Construir confiança e bom relacionamento no ambiente de trabalho otimiza a rotina dos bons líderes. A confiança depende do quanto o líder se apresenta como verdadeiro; da clareza dos argumentos lógicos e racionais que utiliza para defender os seus posicionamentos; e do quanto a equipe tem empatia com o líder. Para construir a confiança de sua equipe, seja respeitoso, ouça tentando entender sua perspectiva, construa relacionamentos interpessoais, admita quando cometer um erro e compartilhe os louros do acerto. Uma vez estabelecida a confiança, é possível ver resultados no crescimento de confiabilidade do colaborador na organização e no bem-estar em sua rotina de trabalho.

Desenvolver esses quatro pilares da inteligência emocional é uma virada de jogo na qualidade da liderança de um gestor e certamente o ajudará a realizar um trabalho muito mais eficaz.

© Copyright - MKS - Todos os direitos reservados